em jeito de carta-resposta…

… a um amigo episodicamente em baixo de forma


se é verdade que a sombra oculta
não menos esconde essoutra certeza
de que nela a luz se acoita
mesmo que
oculta. pesam-te estes dias
acredito como versos não encontrados
vocábulos que vagamente se insinuam
e no silêncio se calcificam
antes de enlouquecer. mas vazio nenhum
perdura para além do sofrimento
essa pálpebra no peito
porque como dizia o poeta
“tudo tem o seu tempo de durar”
vê bem: o amor
a alegria
a perda
a pele
a dor
a própria sombra que tolda
a invisível claridade que em ti se esconde. por isso
não temas apaga esse “para morrer breve”
súbito o silêncio cintilará
como uma serpente de palavras
logo logo verás
que ainda és um fiel depositário do poema
senhor das pequenas tempestades de papel
inútil lutares
a palavra levantar-te-á quando menos esperares
num doce suicídio do dizer.

Anúncios

~ por pedroteixeiraneves em Abril 7, 2010.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: