histórias fulminantes

Começou por erguer um muro de cimento e pedra em torno da casa. Um muro sem portões. Depois trancou-se, fechando todas as portas à chave e descendo todas as persianas. Dentro de casa, construiu novas paredes, fechando-se cada vez mais em espaços mais reduzidos e exíguos. Insatisfeito, deu início à construção de uma torre, que à medida que se elevava aos céus sobre si mesma se fechava em círculos mais e mais apertados. No topo da torre abriu uma pequena janela. Abrindo-a, olhou para o vazio à sua volta. Percebeu então o tamanho da sua solidão e a distância a que se encontrava de si mesmo.

~ por pedroteixeiraneves em Agosto 6, 2010.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: