histórias fulminantes

A mulher sabia que não podia contornar o problema. Mas, embora soubesse que ia passar, sentia-se desconsolada. Era uma questão de tempo, mas ia passar, ela sabia-o. Ela mesma já o passara antes, e o sentimento que então experimentara fora o mesmo. Por um lado, desejava passar rapidamente, por outro, não lhe apetecia passar tudo aquilo novamente. Sabia, por outro lado, que não era a única a passar o mesmo. Muitas outras mulheres sabiam o que passava, porque elas mesmas passavam o mesmo. Passados uns momentos, a empregada da fábrica de confecções armou-se de coragem, pegou no ferro e recomeçou a passar o enorme monte de peças de roupa por passar. Às cinco da tarde iria para casa onde teria ainda umas peças de roupa do marido e das crianças por passar.

~ por pedroteixeiraneves em Agosto 31, 2010.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: