os suicidas

121.
quando o encontraram
não era senão um rasto
um resto
memória de raiz
era já um outro lugar
sem culpa ou salvação.

122.
nem o mais recente modelo de gps
o salvaria pois em absoluto
desconhecia o sentido da vida.

123.
amiúde
escrevia sobre
o suicídio.

124.
em desespero
atirou-se para a nascente do rio
e foi isso que o salvou.

125.
fumava o último cigarro
no parapeito da janela
caía uma tarde invernosa
decidiu cair com ela.

~ por pedroteixeiraneves em Setembro 2, 2010.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: