os suicidas

126.
andava mais perdido
do que a bala perdida
que o encontrou.

127.
o ferro dos comboios
estremeceu descarrilando
o corpo frio num
confronto de materiais pobres.

128.
a princípio só de quando
em quando
pensava no suicídio
depois passou a escrevê-lo
depois

129.
ao ver-se ao espelho
no reflexo por trás de si
a manhã ganhou súbitas tonalidades
sombrias e um frio de dezembro
desceu perlando o silêncio.

130.
a vidro
rasgou a solidão dos pulsos
sob a torneira no lavatório
a água estilhaçando-se
em veias numa tempestade de ausências.

~ por pedroteixeiraneves em Setembro 4, 2010.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: