os suicidas -151-155

151.
convencera-se de que a morte
era a única coisa
que poderia possuir para sempre.

152.
a solidão havia muito tempo
que vivia com ela. agora
ali no parque olhava o relógio;
o silêncio estava ligeiramente atrasado.

153.
desejou
ser verdadeiramente
íntimo de alguém.

154.
subira a pulso
pelos pulsos desceria
rendendo-se ao convite
da lâmina.

155.
a vida
tornara-se uma doença
o ar uma cãibra
o peito estilhaçava-lhe.

~ por pedroteixeiraneves em Setembro 23, 2010.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: