sobre o medo enquanto raiz

Sobre o medo, o medo instalado como raiz profunda nos portugueses. Diz-me Fernando Lemos, o grande fotógrafo surrealista português, há muitos anos a viver no Brasil: «O português é um bicho com medo até hoje, nós fomos criados para ter medo.» No café, horas depois, repego a leitura de «Milagrário Pessoal», de José Eduardo Agualusa, e leio: «Muito medo. Os portugueses são medrosos./ Não seja racista, professor. Fica-lhe mal./ Eu disse medrosos. Os portugueses com coragem e ambição foram-se embora nas caravelas, a construir mundos, a destruir outros mundos. Ficaram os velhos do Restelo, coitados, sempre a queixarem-se da crise e do reumatismo, e a transmitirem muito a custo os fracos genes, além do medo, às gerações vindouras.»

~ por pedroteixeiraneves em Outubro 2, 2010.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: