existessenciais e que tais

118. Foi viver para os arredores na esperança de ficar sem dores.
119. Banheira é o objecto com a garganta mais funda que se conhece. Normalmente tem uma sede infinita e toma banho sempre que os outros tomam, com o senão de ser na água alheia. Por vezes serve de palco, por vezes para partir uma perna. O seu marido trabalha nas praias. Oferece banhos mas nunca vai a banhos.
120. Ao local onde os ecos se reúnem chama-se beco.
121. Era um terrorista espertalhaço, valeu-se da reputação dos bombeiros para colocar bombas.
122. Baralhar significa entregar-se à bebida, perder-se de bar em bar.
123. Os bolsos são os lugares onde se guardam os bês.
124. Aos naturais do Butão não deveria chamar-se botões?
125. Bordar é dar o flanco?
126. Borracha é instrumento para encontrar burros?
127. A uma alça pouco ajustada, atrevida, balouçante, chama-se balsa.
128. De um encontro de cios diz-se ser um bulício. Cioso é aquele que faz a acta do encontro.
129. Bornal é o anglicismo que traduz o lugar de nascimento de alguém.
130. A uma ode triunfal, grandiosa, não deverá chamar-se outra coisa que não bigode.

~ por pedroteixeiraneves em Outubro 20, 2010.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: