histórias fulminantes

A vontade tinha nele notórias dificuldades em manifestar-se, pelo que raramente os seus desejos passavam disso mesmo, de desejos. Ter vontade era, por conseguinte, o seu maior desejo, desejo que a falta de vontade nunca lhe permitiu realizar. Era por isso um homem que dependia inteiramente dos demais para se realizar. O problema é que nem sempre os outros (nós) têm (temos) disponibilidade para realizar desejos alheios.

~ por pedroteixeiraneves em Dezembro 16, 2010.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: