os suicidas e outros suincendiários

201.
os seus olhos
pareciam missangas
derradeiro pensamento
de uma infância colorida
a escorrer pelo silêncio.

202.
aos seus mortos
perguntou pelo
horário
do adeus.

203.
«você não me conhece
é bem certo
como também
à minha poesia.» dobrou
a carta passou a lábios húmidos
os versos e foi aos correios
dizer adeus.

204.
remoía por dentro
pensamentos vários. depressa
resumiu tudo a uma única
decisão: que logo lhe
dissipou todo o sofrimento.

205.
deus, na sua justa
e infinita cegueira a cada dia
do seu corpo se desobrigava
alheio distante sereno
e incapaz de sanar
a natureza do mal.

Anúncios

~ por pedroteixeiraneves em Fevereiro 2, 2011.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: